segunda-feira, 11 de outubro de 2010

No ápice da vida!

Esta é a derradeira semana. Dentro de 5 dias completo 30 anos! Eu nem lembrava, mas minha amigona Michele me disse que loguinho serei uma balzaquiana. Fui procurar a definição e encontrei....


"Elas são mais maduras, sensuais, menos tímidas, mais realistas e, principalmente, vividas. As balzaquianas, como ficaram conhecidas as mulheres de 30 anos, já suportaram muitos preconceitos pelo estigma que essa palavra trazia. Com tom pejorativo, muitas vezes eram rotuladas como "balzaquianas encalhadas", já que, antigamente, para se viver um romance era preciso ter no máximo uns 20 e poucos anos. O escritor francês Honoré Balzac, que viveu no início do século XIX, foi o primeiro a falar da incompatibilidade de casais e trazer à tona a discussão sobre a idade feminina. Foi ele quem considerou as de 30, mulheres no ápice da sua vida sexual, que conhecem como ninguém a arte de seduzir e encantar, e têm muitas histórias para contar."




Uau! Que glória! Esta definição se parece tanto comigo! KKKK
Não vejo a hora! Este aniversário está sendo muito mais esperado do que os meus 15 anos!!!

Olha que site maravilhoso este Bolsa de Mulher! Pra completar encontrei isto:
"Pesquisa diz que mulheres atingem auge da beleza aos 31 anos. O que você acha?"

Que luxo! Ano que vem estarei ainda mais bonita!!!


Firme no propósito de fazer deste Larissa's Festival o melhor dos últimos tempos, continuo mantendo minha agenda super lotada. De manhã vou pra escolinha (as 9 da madrugada), a tarde fico na internet, durmo ou estudo (exatamente nesta ordem) e a noite sempre tem algo pra fazer, na rua. Oh vidinha chata esta!

Semana passada eu e minha turma da escola fomos jogar boliche na Marina. Eu fui mesmo só pra gastar dinheiro, porque não sei jogar boliche. Definitivamente eu sou péssima pra qualquer tipo de jogo. Meu talento está todo canalizado em.... em...????? em.... falar besteira!


Pois bem, depois de um tempo "jogando" boliche, a galera resolveu ir pra praia. Na hora eu pensei: "que bando de loucos", mas chegando lá vi que não eramos somente nós os loucos, mas sim um galera que vai pra pra praia pra conversar, beber, namorar, fumar maconha, etc etc. Quando as mãos, os pés, o nariz e outras coisas comecaram a ficar congeladas, resolvemos ir embora. 

From Turkey, Colombia, Brazil, Libia, Turkey and Spain

No outro dia fui a uma festa latina. Tem inúmeras aqui. Festa brasileira acontece esporadicamente, mas segundo a Fernanda, toca axé do início da carreira da Ivete Sangalo. Eu adoro música latina, especial reggaeton (minhas amigas Lizoca e  Ana tambem adoram!). Falando em música latina, eu e a Juana, que agora moramos juntas, fizemos um acordo. Ela vai me ensinar a dançar salsa, merengue, reggaeton e cumbia, e eu ensino ela a dancar funk, samba, axé e lambada. Ela foi uma vez ao Brasil num congresso de estudantes e enquanto estava no Rio de Janeiro um dos pontos visitados era um tradiciona baile funk (oi?) próximo a uma favela (cuma?). Então ela ficou encantada com a destreza das brasileiras no funk e pediu pra eu ensiná-la. Vamos ver se eu consigo!

Na festa latina a gente percebe claramente quem é latino e quem não é. Os europeus tem uma cara e um jeito (e um ritmo) totalmente diferente do nosso. Tem turco que dança igual ao Raj na novela Caminho das Indias, mexendo o ombrinho e tudo. Muito engraçado! 
Latinos arrasando na "Coco Loco"

Dando continuidade ao Larissa's Festival, na sexta saimos novamente. Um colega nosso voltou pra Espanha e reuniu a galera pra dar um tchauzinho. Fomos ao Madame Geisha, e a noite foi muito auspiciosa. Eu estava com um fogo no rabo, ops, nos pés incontrolável, e dancei tanto, mas tanto que cheguei a fazer uma bolha.  Coisa de nunca! 
Jesus (de listrado) foi embora...

A única coisa chata aqui é que fazemos amigos por semanas, um mês, as vezes um pouco mais... Porque aqueles que estarão aqui por  mais de seis meses são raros.
Quando eu digo que terei  um ano pela frente, todo mundo fica boquiaberto!!! Quando a gente começa a gostar das pessoas (e poxa tem tanta pessoa legal, divertida e maravilhosa neste mundo), descobrir afinidades e tal, ela vai embora. É a vida né...
No sábado fez um dia maravilhoso, até calor (uns 20 graus) e eu e Juana passamos o dia todo na rua, como toda a população  da cidade. Gastamos nossas moedas no Starbucks e numa barraquinha de batatas fritas e fomos pra praia. Ficamos deitadas nas pedras, comendo, admirando a paisagem e as pessoas feias, discorrendo sobre como fomos abençoadas em poder estar vivendo tudo isto. Amém!

Ócio
 Amo pôr do sol


Como domingo Deus fez para o descanso, fiquei intercalando da cama pro sofá. Fez um dia bonito também, porém frio. Fui ao mercado fazer as compras indispensáveis da semana (doces, brownies, chocolates) e depois fiquei me preparando psicologicamente pra derradeira semana. Adeus meus 20 e poucos anos!

4 comentários:

Anônimo disse...

Tá quase chegando, futura balzaquiana!!!
Linda a foto do por-do-sol. Tb "adolu"!!
beijus...Michelle

Ana Paula disse...

Oi Lara, td bem? Eu e a Aninha estamos aqui em casa tomando aquele vinho e comendo uma pizza. Estamos afinadas com as tuas peripécias,tu não existe, parece que estamos aí com vc. Que saudade! Quem sabe vcs pode receber duas visitas surpresa de repente em 2011???? Bjcas. Lize e Ana.

Ana Paula disse...

Lara Criciúma continua um C. cabeludo, que só serve para o esfola prega kkkk (lembra?)Nosso próximo compromisso é o casamento do casal global huahuahuaua. Aguarde os detalhes sórdidos..vixi é a lizoca com o aval da Aninha. Muito vinho no cabeção rsrs

Andressa Fabris disse...

Lara, o Bolsa de Mulher tem razão. Os 30 são a melhor época da vida de uma mulher (pelo menos na minha, que ainda não passei dos 40, mas já tô chegando). Já ouvi dizer que os 50 são ótimos também, mas que os 40 são uma crise só. Então, olha só o que me aguarda. Beijo, aproveita muito aí e continue contando tudo, porque estamos adorando. Andressa

Postar um comentário